The Impact of Diversity on Corporate Boards

Diversity on the Board of Directors Influences Innovation? 

The studies speak for themselves – competence, not gender or race, counts in managerial positions. What are the statistics and how do companies develop diversity in leadership positions? 

Although we have recently taken a big step towards equality resulting from protests by women and people of color, including the Black Lives Matter movement, pressure from shareholders, and legislation, we still face deep stereotypes in leadership roles. This was found especially at large companies like the Fortune 500 and Russell 3000 in 2018. Research has shown that management positions have traditionally been dominated by white men. A survey of Fortune 500 organizations revealed that the reality of diversity and inclusion was quite different from what was expected in corporate positions: 

83.9% were White; 8.6% were Black / African American; 3.8% Latinos and 3.7% Asians. 

The research shows not much is different at the Russell 3000. Although Latinos are the fastest growing ethnic group in the USA, representing 18.5% of the population, they occupied only 2.2% of leadership positions in the companies. The same is true for Blacks, with 12.5% ​​of the population but with only 4.1% in leadership. Women fared better, filling 45% of new Russell 3000 board positions and 46% of new S&P board seats in 2019. Civic leaders, business activists and advocacy groups such as Women on Boards and the Latino Corporate Directors Association (LCDA) also spoke openly about the need for change. There are still harmful gender and race stereotypes that are being countered by several notable companies and politicians. 

The good news is that we’re going in the right direction – more and more women are in leadership positions compared to previous years. Although this has not yet been a significant growth, we can look forward to the future with optimism.  

What is the greatest benefit of diversity? A 2015 report by McKinsey & Co. showed that in a survey involving 366 public companies in several countries such as Canada, Latin America, the United States and the United Kingdom, diversity on corporate boards improves financial results. From the report: 

“…companies with boards that ranked in the top quartile for racial diversity were 33 percent more likely to outperform those in the bottom quartile. Those in the top quartile for gender diversity were 21 percent more likely to outperform those in the bottom quartile.” 

The barriers to a diverse board sworn from within and without. Directors must adopt a more open attitude to diversity and encourage the formation of diverse and heterogeneous boards. A key element of good corporate governance, diversity on a board remains, after all, a ‘leadership’ challenge. Diversity in senior positions allows for a more balanced perception of opportunities and risks, taking into account both business conditions and the human factor. 

So, what does it take to succeed? Certainly, openness to change and willingness to take on the challenge. How is your company positioned in diversity? Could your corporate board be enriched with new skills? 

We at UnniCo Connect place a high value on diversity and inclusion in the recruitment and selection processes, as we believe that “Diversity and inclusion are fundamental to innovation.” 

Call now and let’s talk about what we can do for you. In addition to HR services, we also provide complete assistance for any other stage of your business. 

Source: Article published by SHRM, The Society for Human Resource Management. 

A diversidade no conselho de administração influencia a inovação?  

O impacto da diversidade em cargos de liderança 

Os relatos falam por si mesmos – competência, não gênero ou raça, conta em cargos gerenciais. Como é realmente a cota e como as empresas apoiam o desenvolvimento da diversidade em cargos de liderança? 

Embora tenhamos dado um grande passo em direção à igualdade através de protestos de mulheres e pessoas de cor, incluindo o movimento Black Lives Matter, pressão de investidores e acionistas e legislação estadual; ainda enfrentamos estereótipos profundos em  papéis de liderança. Isso foi constatado especialmente em grandes empresas como Fortune 500 e Russell 3000 em 2018. Pesquisas mostraram que os cargos de gestão estavam tradicionalmente dominados por homens brancos. Uma pesquisa envolvendo membros da Fortune 500, revelou que a realidade da diversidade e inclusão estava bem de diferente do que se esperava em cargos corporativos: 

83,9% eram brancos; 8,6% eram negros/afro-americanos; 3,8% latinos e 3,7% asiáticos. 

Não muito diferente mostra a pesquisa na empresa Russell 3000. Embora os latinos sejam a etnia de maior crescimento nos EUA, representando 18,5% da população, ocupavam apenas 2,2% em cargos de liderança nas empresas. O mesmo acontece com indivíduos negros sendo 12,5% da população mas com apenas 4,1% na liderança. As mulheres se saíram melhor, preenchendo 45% dos novos cargos do conselho do Russell 3000 e 46%, aumento de 19% foi para 45%  dos novos assentos do conselho da S&P em 2019. Líderes cívicos, ativistas empresariais e grupos de defesa, como Women on Boards e a LCDA  também falaram abertamente sobre a necessidade de mudança. 

Vendo mudanças indo na direção certa – mais e mais mulheres estão em posições de liderança em comparação com anos anteriores. Embora este não seja um crescimento dinâmico, podemos olhar para o futuro com otimismo. Ainda assim, existem estereótipos de gênero e raça prejudiciais que estão sendo combatidos por diversas empresas e autoridades conscientes.   

Qual é o maior benefício da diversidade? Um relatório da McKinsey & Co. de 2015, mostrou que em pesquisa envolvendo 366 empresas públicas em diversos países como: Canadá, América Latina, Estados Unidos e Reino Unido, chegou a essa conclusão: a diversidade nos conselhos corporativos beneficia os resultados financeiros. 

As barreiras para um conselho diversificado vêm tanto de dentro como de fora. Os diretores devem adotar uma atitude mais aberta à diversidade e estimular a formação de conselhos mais diversos e heterogêneos. Um elemento-chave da boa governança corporativa, a diversidade em um conselho continua sendo, afinal, um desafio de liderança. Acredito que a diversidade em altos cargos permite uma percepção mais equilibrada de oportunidades e riscos, levando em conta tanto as condições de negócios quanto o chamado fator humano. 

Então, o que é necessário para ter sucesso? Certamente abertura para a mudança e vontade de assumir o desafio. 

Como a sua empresa está posicionada na diversidade? O seu conselho  poderia ser enriquecido com novas habilidades? 

Nós da UnniCo Connect damos muito valor à diversidade e inclusão nos processos de recrutamento e seleção, pois acreditamos que “Diversidade e inclusão são fundamentais para a inovação.” 

Ligue agora e vamos conversar sobre o que podemos fazer por você. Além de serviços de RH também damos assistência completa para diversos estágios de negócios que esteja.  

Fonte: Artigo publicado pela SHRM, A Society for Human Resource Management .